Crónica: Belgas sem capacidade de resposta para dinâmica ofensiva da Itália

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

A Itália venceu hoje a Bélgica por 2-1 e qualificou-se para as meias-finais do Euro2020 de futebol, ao impor uma intensidade de jogo e uma dinâmica de ataque à qual os belgas não conseguiram responder à altura.
Crónica: Belgas sem capacidade de resposta para dinâmica ofensiva da Itália

Naquele que terá sido, provavelmente, o melhor jogo do Euro2020 até ao momento, a Itália confirmou o que tinha feito na fase de grupos e fez uma demonstração de futebol de ataque, de risco, sem medo de envolver cinco e seis jogadores nas ações ofensivas.

Essa vertigem de ataque fez com que a Bélgica, em dois lances de contra-ataque, um por felicidade, fruto de um ressalto que levou a bola até aos pés de De Bruyne, aos 22 e 26 minutos tivessem criado duas situações de 3x3, só paradas com duas grandes estiradas do guarda-redes Donnarruma.

No entanto, contrariando até a identidade do futebol italiano, esta equipa de Roberto Mancini, mérito seu, deu um recital de dinâmica ofensiva que colocou grandes problemas a uma defesa belga com três centrais lentos, vulnerabilidade que a seleção portuguesa nunca soube explorar por falta de ousadia.

Quando surgiu o golo de Barella, aos 31 minutos, um grande golo do médio do Inter, após uma assistência de Verratti, ao driblar dois adversários e ao efetuar um remate cruzado fora do alcance do guarda-redes Courtois, já a Itália tinha justificado a vantagem.

O meio-campo com Barella, Jorginho e Verrati é muito forte na gestão da bola e nas saídas rápidas para o ataque, Chiesa e Insigne são dois alas muito rápidos, de grande capacidade técnica e verticalidade de jogo, os laterais são duas ‘motas’, especialmente Spinazzola no flanco esquerdo, a aproveitar os movimentos interiores de Insigne.

O 2-0 surgiu naturalmente à beira do intervalo, outro grande golo, agora por Insigne, de fora da área, a aproveitar o facto de Vermaelen e Alderweid terem comprometido ao recuarem enquanto o jogador do Nápoles se aproximava da área.

No entanto, a Bélgica, num lance exclusivamente de iniciativa individual, do extremo Doku, reduziu para 2-1, aos 45+2, de penálti, por Lukaku, na sequência de uma falta duvidosa de Di Lorenzo, o que levou os belgas com um resultado lisonjeiro para o intervalo.

Na segunda parte, excetuando no último quarto de hora, em que a Itália foi obrigada a sofrer um pouco face ao adiantamento da Bélgica, que arriscou tudo para levar o jogo para prolongamento, a matriz de jogo não se alterou, na medida em que a ‘squadra azzurra’ nunca ‘tirou o pé do acelerador’, a despeito de estar em vantagem no marcador.

Nos últimos minutos, na fase de desespero, a Bélgica poderia ter chegado ao 2-2, mas seria manifestamente injusto perante uma Itália que foi claramente superior e que se qualifica para as meias-finais com toda a justiça, defrontando agora a Espanha, que hoje eliminou a Suíça.

Programa da jornada:

Sexta-feira, 2 de Julho de 2021
Suíça - Espanha, 1 - 3 g.p
Bélgica - Itália, 1 - 2

Sábado, 3 de Julho de 2021
Rep. Checa - Dinamarca, 1 - 2
Ucrânia - Inglaterra, 0 - 4

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página