loading

Taça de Portugal: Abnegação do São Roque não serviu para travar a superioridade do Farense

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

O Farense, da II Liga, bateu hoje o São Roque, do regional dos Açores, por 3-0, em jogo da Taça de Portugal de futebol, em que a equipa de Faro foi sempre superior, apesar da abnegação dos insulares.
Taça de Portugal: Abnegação do São Roque não serviu para travar a superioridade do Farense

O regresso da festa da Taça aos Açores foi encarado como grande expectativa por parte da população da freguesia de São Roque, que encheu o estádio para a receção ao Farense.

No arranque do encontro, a equipa da casa esforçou-se por atenuar a diferença de nível entre as duas equipas. O Farense dominou sempre a posse de bola, mas teve dificuldades em superar a equipa aguerrida do São Roque, habituada a jogar no seu sintético.

Contudo, com individualidades de maior nível, o Farense conseguiu chegar o golo aos 16 minutos. Após uma assistência de Pedro Henrique, Bruno Paz finalizou para o fundo das redes, aproveitando o espaço concedido pela defesa da casa.

Em vantagem, a superioridade do Farense ficou mais visível: a equipa de Faro dominou o encontro, perante um São Roque que continuou a ter como prioridade tapar os caminhos da sua baliza.

Ainda assim, o Farense só conseguiu ameaçar as redes contrárias através de remates de meia distância.

No retomar do segundo tempo, o Farense chegou ao golo. Aos 50 minutos, Pedro Henrique aproveitou o espaço na defesa do São Roque para bater Guga pela segunda vez.

Com o passar dos minutos, a equipa da casa, que teve sempre a abnegação como principal arma, acusou o cansaço e começou a facilitar na organização defensiva.

Na sequência disso, o Farense voltaria a ampliar a vantagem, e, aos 58 minutos, Pedro Henrique voltou a fazer o gosto ao pé.

Com o resultado praticamente fechado, o Farense dominou o jogo a seu bel-prazer e dispôs de vários lances perigosos. Caso tivesse sido mais eficaz, a equipa de Faro poderia ter construído uma vantagem mais folgada.

O melhor que a equipa da casa conseguiu em todo o jogo foi um cabeceamento de Leandro Costa, aos 75 minutos, na sequência de uma bola parada, que passou perto do poste esquerdo da baliza de Ricardo Velho.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página