loading

Crónica: Braga de ‘ímpeto’ e pontaria estreia-se a vencer em Famalicão

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Quem tem o melhor plantel para 'atacar' o título?

O Sporting de Braga estreou-se hoje a vencer na edição 2022/23 da I Liga, ao impor-se ao Famalicão por 3-0, num duelo em que entrou a marcar e depois controlou, referente à abertura da segunda jornada.

Crónica: Braga de ‘ímpeto’ e pontaria estreia-se a vencer em Famalicão

Os bracarenses já venciam por 2-0 aos 18 minutos, após os golos do lateral esquerdo Sequeira, aos 13, e do avançado Simon Banza, aos 18, e ‘silenciaram’ a reação dos anfitriões na segunda metade, ao minuto 79, novamente pelo dianteiro ex-Famalicão, sentenciando o desfecho do primeiro triunfo da sua história para o escalão principal em reduto famalicense – só tinha vencido um jogo para a Taça de Portugal nessa condição.

Os ‘arsenalistas’ controlaram quase toda a primeira parte, graças a um posicionamento defensivo que ‘cortava’ várias saídas famalicenses para o ataque na linha intermédia ou até no meio-campo adversário e à capacidade para levar perigo à baliza de Luiz Júnior assim que se via com espaço.

Ancorada nos passes certeiros de Al Musrati, a fluidez na circulação de bola assegurou aos pupilos de Artur Jorge ‘clareiras’ no corredor central, aproveitadas para distribuir jogo atacante ora para a ala esquerda, ora para a ala direita, de onde surgiu o golo inaugural.

Única novidade no ‘onze’ bracarense, em substituição do lesionado Victor Gómez, Fabiano chegou à linha final e cruzou para a área, onde Vitinha teve fôlego para ganhar duas bolas divididas e assistir Sequeira para um remate forte de primeira, indefensável para Luiz Júnior.

Os anfitriões tentaram de imediato subir no terreno, mas uma perda de bola a meio-campo revelou-se crucial para novo tento do Sporting de Braga, ‘desenhado’ por Sequeira, Iuri Medeiros, Vitinha, que ‘disparou’ para defesa incompleta de Luiz Júnior, antes da recarga decisiva de Simon Banza à ex-equipa, de cabeça.

Os bracarenses ameaçaram o terceiro golo em remates de André Horta, aos 23 minutos, e de Iuri Medeiros, aos 43, apesar de o Famalicão ter subido no terreno, com ‘bolas’ em profundidade, quase sempre anulados por Matheus, ou com incursões pelas alas, mal definidas à exceção dos lances protagonizados por André Simões, ao minuto 24, num toque em habilidade, e aos 42, num cabeceamento.

Mais perigoso na segunda metade, o Famalicão ameaçou as redes contrárias ao minuto 48, numa jogada em que Alejandro Millán ‘girou’ para obrigar Matheus a defesa apertada, antes de uma quebra no ritmo de jogo, somente reavivado com a ‘dança’ das substituições.

Álvaro Djaló rendeu Vitinha aos 61 minutos e ameaçou o golo dois minutos depois, mas o famalicense Colombatto, opção do treinador Rui Pedro Silva para render André Simões, respondeu aos 67, num remate que iniciou a fase de maior sufoco para a defesa ‘arsenalista’, também marcada pelo remate de Youssouf Zaydou, aos 69.

O ‘ímpeto’ dos homens da casa, ainda sem pontos no campeonato, perdeu-se e o Sporting de Braga recuperou o controlo das operações à medida que as substituições se realizavam, tendo cabido a Banza, com um desvio à ‘boca’ da baliza, ‘fechar’ as contas do triunfo que dá à sua equipa a liderança provisória do campeonato, com quatro pontos.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Na Primeira Página