loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Crónica: Benfica com primeira parte comprometedora e sem estofo europeu

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Facebook

Outras Notícias

Sondagem

Frederico Varandas deve pedir a demissão de presidente do Sporting?

O Benfica perdeu hoje em Lyon por 3-1, na quarta jornada do Grupo G da Liga dos Campeões, confirmando ter falta de estofo europeu, com uma abordagem comprometedora ao jogo e incapacidade posterior para o reverter.
Crónica: Benfica com primeira parte comprometedora e sem estofo europeu

A equipa de Bruno Laje começou logo por comprometer na forma como entrou no jogo, a sofrer um golo logo aos quatro minutos, na sequência de um lance de bola parada, um pontapé de canto curto, numa jogada estudada pelos franceses que culminou com o golo do central dinamarquês Joachim Andersen nas costas de Rúben Dias.

Ao golo seguiu-se o controlo e o domínio de jogo totais do Lyon até ao intervalo, perante um Benfica totalmente incapaz de ter bola e impor o seu jogo, com dificuldades gritantes em conceber uma jogada coletiva digna desse nome, com os setores afastados e a tendência inevitável dos seus jogadores para forçar as jogadas individuais perante a ausência de linhas de passe.

Foi com toda a naturalidade que o Lyon chegou ao 2-0, aos 33 minutos, pelo internacional holandês Memphis Depay, a concluir no ‘coração’ da área uma jogada pelo flanco esquerdo do seu ataque conduzida por Houssem Aouar, no qual a imaturidade do jovem lateral esquerdo ‘encarnado’ Tomás Tavares foi gritante.

Aouar fez o que quis do seu opositor, conduziu a bola, acelerou, refreou a corrida, e voltou a acelerar, passando por Tomás Tavares como ‘faca quente por manteiga’ e entrando na área para oferecer o golo a Depay.

Esta jogada levanta a questão das opções de Bruno Laje para o jogo, ao deixar no ‘banco’ jogadores experientes como André Almeida e Pizzi em favor de dois ‘miúdos’ com valor, mas sem ‘bagagem’ para um jogo deste grau de exigência, não sendo o Lyon, tão-pouco, um ‘grande’ europeu.

De resto, a segunda parte acabou por reforçar essa convicção acerca das opções de Bruno Laje, com a entrada tardia de Pizzi, aos 73 minutos, ainda a tempo de pôr alguma ordem ao meio-campo e de oferecer o golo a Seferovic, que entrou após o intervalo a render Gedson.

O treinador do Lyon sentiu-se tão confortável ao intervalo que deixou no balneário a sua estrela maior, Memphis Depay, para pôr a sua equipa a gerir a vantagem, baixando um pouco as linhas e permitindo que o Benfica pegasse no jogo em zonas distantes da sua área.

É verdade que o Benfica deu outra imagem na segunda parte, a assumir o jogo e a ser capaz de desenvolver jogadas coletivas, coisa rara de ser ver até ao intervalo, e a pressionar o Lyon no último terço do campo, chegando a criar algumas situações de perigo em que poderia ter reduzido e relançado a discussão do resultado.

O golo acabou por chegar, aos 76 minutos, congeminado por dois jogadores, hoje suplentes, que se conhecem bem, Pizzi e Seferovic, com o primeiro a colocar a bola nas costas da defesa gaulesa onde o suíço surgiu a finalizar.

A equipa ‘encarnada’ tinha pouco mais de um quarto de hora para chegar ao empate e deixar em aberto o apuramento, mas a verdade é que revelou a tal falta de estofo, de classe, pela incapacidade que revelou para ter a bola e pressionar o Lyon junto à sua área.

Pelo contrário, foi a equipa francesa que tomou conta da bola e geriu-a com inteligência e até alguma ratice, não permitindo qualquer veleidade ao Benfica de se aproximar da sua área com um mínimo de perigo para a baliza de Anthony Lopes e chegando mesmo a ampliar o resultado, a acabar, por Bertrand Traoré.

O Benfica é o quarto classificado, com três pontos, no Grupo G, que é liderado pelos alemães do Leipzig (que hoje venceu o Zenit na Rússia por 2-0), com nove pontos, seguido do Lyon, com sete, e dos campeões russos, com quatro.

Programa da jornada:

Terça-feira, 5 de Novembro de 2019
Barcelona - Slavia, 0 - 0
Zenit - RB Leipzig, 0 - 2
Chelsea - Ajax, 4 - 4
Lyon - Benfica, 3 - 1
Dortmund - Inter, 3 - 2
Napoli - RB Salzburg, 1 - 1
Valência - Lille, 4 - 1
Liverpool - Genk, 2 - 1

Quarta-feira, 6 de Novembro de 2019
Lokomotiv - Juventus, 1 - 2
Bayern München - Olympiakos, 2 - 0
Leverkusen - Atlético Madrid, 2 - 1
Dinamo Zagreb - Shakhtar, 3 - 3
Real Madrid - Galatasaray, 6 - 0
Atalanta - Man City, 1 - 1
Crvena Zvezda - Tottenham, 0 - 4
PSG - Club Brugge, 1 - 0

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Na Primeira Página

Pode gostar de ler