loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Futebol de praia: Portugal só nos penáltis afastou Japão rumo ao 'tri' mundial

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Facebook

Outras Notícias

Sondagem

Frederico Varandas deve pedir a demissão de presidente do Sporting?

Portugal sofreu hoje para atingir a final do mundial de futebol de praia, precisando do desempate por penáltis para eliminar o aguerrido Japão, por 5-4, após o 3-3 final no 'dilúvio' de Assunção.
Futebol de praia: Portugal só nos penáltis afastou Japão rumo ao 'tri' mundial

Sob chuva, que chegou a ser intensa, os irmãos Martins, Leo e Be, foram os autores dos golos dos lusos, que procuram o terceiro cetro mundial, depois de 2001 e 2015, frente à Itália que nunca ganhou a prova, e que afastou a Rússia com 8-7 após prolongamento, que se seguiu ao 7-7 final.

Frente à única seleção só com vitórias na prova, mas que nunca conseguiu melhor do que o quarto lugar em mundiais, em 2000 e 2005, Portugal precisou somente de dois minutos para se adiantar no marcador.

Be Martins cruzou na esquerda para o centro da área, onde Leo, entre três adversários, foi mais expedito e atirou a contar.

O controlo da posse de bola passou, entretanto, para os nipónicos, que ameaçaram várias vezes a igualdade, negada por Elinton Andrade, impotente para travar o livre frontal do ‘capitão’ Ozu Moreira, aos 11 minutos.

O conjunto asiático consumou a reviravolta pouco depois, com Shusei Yamauchi a ganhar uma disputa no ar – os portugueses queixaram-se de falta – e a rematar à meia-volta.

Mais sôfregos e impacientes do que o habitual, os pupilos de Mário Narciso não conseguiam encontrar as melhores soluções, enquanto o adversário, muito rigoroso a defender, tentava surpreender e dilatar a vantagem.

Elinton Andrade manteve a baliza segura e atirou à trave, a 7.33 do fim, antes de Be Martins consumar a reviravolta, primeiro com uma 'dança' em frente a um rival, a conseguindo libertar-se e rematado entre as pernas de Ozu, seguindo-se um forte pontapé cruzado, quando se encontrou sem marcação.

A pressão final dos nipónicos frutificou a 47 segundos do termo, com Takuya Akaguma a afastar-se da marcação e a ‘disparar’ para o 3-3, que obrigou a prolongamento, que nada alterou.

Na série de três penáltis, Ozu Moreira e Teruki Tabata atiraram por cima, enquanto Majder e Rui Coimbra converteram para Portugal.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Na Primeira Página

Pode gostar de ler