loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Rúben Amorim: «A nossa ideia é fazer crescer o Braga»

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Outras Notícias

Sondagem

Com a vitória do FC Porto frente ao Benfica o campeonato está relançado?

Declarações de Rúben Amorim, após o jogo da final da Taça da Liga de futebol, entre Sporting de Braga e FC Porto, disputado em Braga, que terminou com uma vitória dos bracarenses, por 1-0.
Rúben Amorim: «A nossa ideia é fazer crescer o Braga»

"A equipa do Sporting de Braga soube entender os momentos do jogo. Os primeiros 30 minutos foram muito bons. Depois, o FC Porto equilibrou e ficou um pouco por cima. Ao intervalo, falámos sobre isso. Na segunda parte, o FC Porto entrou forte. Tivemos o azar [da lesão} do Tormena e perdemos alguma velocidade, mas o Wallace entrou muito bem e soube anular o jogo direto do FC Porto. O grande mérito dos jogadores foi saberem entender os momentos do jogo. Acabaram por ter felicidade no fim e vencer o jogo.

Estou bastante feliz por mim, pela minha família, por todas as pessoas que me apoiaram após o castigo que tive no ano passado [2018/19]. Há poucos meses estava castigado. Agora estou aqui a festejar a Taça da Liga. Vou deixar festejar os jogadores e dar folga amanhã [domingo]. Vamos ter pouco tempo para preparar o jogo com o Moreirense [I Liga], mas já estou focado nisso.

Tem [um sabor especial esta Taça da Liga]. Houve uma ou outra em que não joguei e não tem o mesmo sabor. Sendo treinador, tem um sabor especial, por tudo o que aconteceu no ano passado e no início do mês. O que eu passei ajudou-me muito a ser o treinador que sou hoje.

Os resultados ajudam muito na afirmação, depois de tantas críticas, eu me afirmar como treinador de futebol. O principal é olhar para a equipa. Os resultados ajudam as pessoas a entenderem isso. Apesar de eu não ter o nível de treinador, às vezes pode-se estar à espera de derrotas para certas pessoas fazerem as críticas chegar. Com os resultados a acontecerem, é mais fácil precaver-me disso. Temos de olhar para o trabalho da equipa, para o que ela faz em campo. É verdade que tive a ‘estrelinha' em muitos dos jogos, mas os resultados ajudam muito à minha afirmação e dão-me um certo gozo depois das críticas a que fui sujeito. Mas não quer dizer que esteja tudo bem. Se tivesse perdido alguns dos jogos que ganhei, também não estaria tudo mal.

[Após a entrada para o lugar de Ricardo Sá Pinto] houve uma mudança de sistema, a mudança de uma ideia, que acabou por correr bem com os resultados. Tenho a minha forma de trabalhar, de entender o jogo.

O nosso sistema de jogo é como qualquer outro. Temos pouco tempo de trabalho. O que pode mudar são as características: jogar com o Trincão e com o [Ricardo] Horta é uma coisa e jogar com o Galeno é outra. Ao jogarmos com o Palhinha, temos mais recuperação no meio-campo. Ao jogarmos com o [André] Horta, temos mais bola e criatividade.

Lembro-me que ganhámos o primeiro jogo no Jamor [com o Belenenses SAD], por 7-1, mas, depois, contra o Tondela, sentimos muitas dificuldades e, durante a primeira parte, tivemos assobios dos adeptos. Se perdermos com o Moreirense, poderemos ficar a sete pontos do terceiro lugar. Isto é tudo muito volátil.

A nossa ideia é fazer crescer o Braga [após questão sobre o clube transformar-se num candidato ao título]. O rumo é aquilo que o presidente disse: apostar na formação, segurar o plantel que temos hoje. Não vamos conseguir segurar os jogadores todos no final da época, com eles [a jogarem] assim. Temos de criar condições para chegarmos a um ponto em que podemos segurar o plantel por mais tempo.

O clube cresceu muito, deu um passo em frente. O presidente tem feito um trabalho excecional. Precisamos muito dos adeptos e da cidade para crescermos como clube".

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Na Primeira Página

Pode gostar de ler