loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Covid-19

Covid-19: Zilina, da Eslováquia, despede 17 jogadores

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

É justa a medida do Governo em autorizar o regresso I Liga e impedir a II Liga?

O Zilina, segundo classificado do campeonato de futebol da Eslováquia, anunciou hoje ter despedido 17 dos 51 jogadores com quem tem contratos assinados, por não aceitarem a redução de salário devido à pandemia de covid-19.
Covid-19: Zilina, da Eslováquia, despede 17 jogadores

O clube, que se encontra insolvente devido à paragem da Liga por causa da expansão da pandemia, despediu 17 jogadores que apresentavam "altos salários" ou então "cujo contrato terminava no verão ou no final do ano", pode ler-se em comunicado.

Sete vezes campeão eslovaco, a última as quais em 2017, o Zilina tinha proposto a redução salarial aos jogadores com quem tinha contratos assinados, com o guarda-redes Dominik Holer a revelar, nas redes sociais, que o corte ascendia a 80% do vencimento.

"Recebemos uma proposta do clube com a qual não concordámos, mas queríamos chegar a acordo. Não sabíamos que o clube tinha declarado insolvência", explicou outro dos jogadores dispensados, Miroslav Kacer, ao diário eslovaco SME.

Na nota do emblema, pode ler-se que o orçamento para 2020 assentava "nas receitas esperadas no verão, durante o período de transferências, mas, com a situação, esse valor será próximo de zero".

"Os jovens do clube, que mostraram boa vontade e solidariedade, terão assim oportunidades" no caso de o campeonato ser reatado, acrescenta o Zilina.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 750 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 36 mil.

Dos casos de infeção, pelo menos 148.500 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 140 mortes e 6.408 casos de infeções confirmadas. Dos infetados, 571 estão internados, 164 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página