ESC ONLINE

Desinspiração lusa dita ’nulo’ na Rússia e consequente ausência do Europeu-2022

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

A seleção portuguesa de futebol feminino falhou hoje a presença no Euro2022, após empatar 0-0 com a Rússia, em Moscovo, no encontro da segunda mão do ‘play-off’, em que não conseguiu apresentar argumentos para se superiorizar.
Desinspiração lusa dita ’nulo’ na Rússia e consequente ausência do Europeu-2022

O golo solitário de Nelli Korovkina, apontado aos 51 minutos, no Estádio do Restelo, em Lisboa, na passada semana, obrigava a seleção das ‘quinas’ a marcar, pelo menos, um golo na capital russa, para manter a eliminatória viva.

O treinador Francisco Neto optou por mudar apenas duas ‘peças’ no ‘onze’, face ao encontro da primeira mão, uma delas na baliza, colocando Inês Pereira, em detrimento de Patrícia Morais, que ficou mal na 'fotografia' no lance do golo no jogo anterior, e a outra no ataque, com Jéssica Silva a ‘sentar’ Carolina Mendes.

Com algum público presente nas bancadas da Sapsan Arena, Portugal entrou mais determinado, encostando as russas ao seu último terço, na busca de encontrar espaços e explorar eventuais fragilidades defensivas.

Apesar da vontade apresentada em campo para tentar mudar o rumo da eliminatória, foi a Rússia a dispor das melhores chances no encontro, aproveitando o espaço concedido, nomeadamente pelo lado esquerdo da defesa lusa.

Primeiro, aos 20 minutos, Mashkova teve todo o tempo para cruzar ‘direitinho’ para a avançada Korovkina, de cabeça, levar a bola a passar muito perto da baliza, deixando Inês Pereira ‘pregada’ ao relvado. Pouco depois, novamente pelo corredor a cargo de Joana Marchão, Korovkina obrigou a guardiã lusa a aplicar-se entre os postes.

Portugal voltaria, já perto do tempo de descanso, a carregar sobre a defensiva adversária, mas, mais uma vez, sem assustar e colocar à prova Elvira Todua.

Na segunda parte, as lusas mantiveram a postura de procurar a baliza, contudo, faltava objetividade e melhor definição no último passe, algo que nas anfitriãs não acontecia tanto e, prova disso, foi o remate à barra enviado pela lateral Abdullina, ainda com um ligeiro desvio de Inês Pereira, aos 59 minutos.

Francisco Neto operou uma tripla substituição - Telma Encarnação, Fátima Pinto e Andreia Jacinto, logo a seguir ao lance perigoso, mas Korovkina, talvez a melhor em campo, não se mostrava satisfeita com o ‘nulo’ e continuou a dar trabalho às portuguesas, desta vez, a isolar-se e a ‘picar’ a bola, que viria a sair ao lado do alvo, por cima da guarda-redes.

Só à passagem do minuto 70, Portugal causou realmente perigo, através de um belo remate colocado de Dolores Silva, à entrada da área, que obrigou Todua a ‘voar’ para a bola e a ceder canto.

Nos últimos 12 minutos, para tentar penetrar a defesa fechada da Rússia, Francisco Neto arriscou ao retirar a defesa Sílvia Rebelo por troca com Ana Capeta, que não conseguiu acrescentar quase nada, uma vez que se lesionou nos instantes seguintes.

A fase final do Europeu de 2022 realiza-se em Inglaterra, de 06 a 31 de julho, e, além da seleção anfitriã, já se qualificaram Países Baixos, Dinamarca, Noruega, Espanha, Finlândia, Suécia, França, Bélgica, Alemanha, Islândia, Áustria, Itália e Rússia.

As duas vagas que restam vão ser preenchidas pelos vencedores dos outros jogos dos ‘play-offs’, que se disputam ainda hoje, entre Suíça e República Checa (1-1 no primeiro jogo) e Irlanda do Norte e Ucrânia (2-1).

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página