loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Crónica: Sporting resiste com 10 e vence nas Aves

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Facebook

Outras Notícias

Sondagem

Quem tem o calendário mais difícil até final da temporada?

O Sporting, reduzido a 10 jogadores praticamente todo o encontro, venceu hoje no reduto do Desportivo das Aves, por 3-1, na 29.ª jornada da I Liga de futebol, e reforçou o terceiro lugar.
Crónica: Sporting resiste com 10 e vence nas Aves

Os ‘leões’ mostraram mais e melhores argumentos e venceram com justiça, alcançando o sétimo triunfo consecutivo, face a um Aves que ainda ameaçou contestar a sua superioridade, a partir da expulsão de Renan, logo aos quatro minutos, por ação faltosa fora da sua área.

Luiz Phellype inaugurou o marcador para o Sporting aos 24 minutos, Falcão igualou para o Aves aos 33, na cobrança de uma grande penalidade, mas ainda antes do intervalo, aos 44, Mathieu devolveu os ‘leões’ à vantagem. Bruno Fernandes, aos 84 minutos, anotou o terceiro, fixando o resultado final.

O Sporting soma por vitórias os cinco jogos disputados nas Aves para o principal campeonato e, com a de hoje, consolidou o terceiro lugar, agora com 64 pontos, mais seis do que o perseguidor Sporting de Braga, quarto classificado, que recebe no domingo o Tondela.

O Aves, por sua vez, mantém 30 pontos, mas no final da jornada poderá baixar do 12.º posto atual, numa luta cerrada pela permanência.

Jovane e Raphinha foram as novidades no ‘onze’ do Sporting, em substituição de Borja e Diaby, mas o cabo-verdiano foi ‘sacrificado’ cedo, por expulsão de Renan, aos quatro minutos, num lance em que Mathieu não afastou a bola e Luquinhas interpôs-se, acabando derrubado no limite da área pelo guarda-redes brasileiro.

Este lance não mexeu muito com o registo do jogo, disputado num ritmo baixo, com o Sporting a manter o controlo da bola, na maior parte do tempo, numa construção talvez um pouco mais lenta após a inferioridade numérica, e o Aves a procurar explorar as transições rápidas.

Luquinhas foi sempre o jogador mais perigoso dos locais, jogando como elemento mais móvel de um ataque que voltou a contar com Derley, após castigo, numa equipa que também teve Mato Milos, na defesa, substitutos de Vítor Costa e Mama Baldé.

A estratégia de Inácio procurava dar solidez à defesa avense, a três ou cinco elementos, consoante as circunstâncias, e saídas rápidas, sem esquecer Bruno Fernandes, hoje mais colocado sobre a esquerda, cuja ação procurava condicionar.

A figura central dos ‘leões’ esta época, no entanto, conseguia fintar a atenção contrária com um jogo mais simples, de receção e passe, revelando desde cedo um bom entendimento com Acuña, de regresso ao corredor esquerdo defensivo.

Os dois jogadores estiveram na construção do primeiro golo, aos 24 minutos, na sequência de um lançamento lateral executado por Bruno Fernandes, com Acuña a cruzar, depois, para Luiz Phellype, ao primeiro poste, antecipar-se à marcação e, de cabeça, bater Beunardeau, marcando pelo terceiro jogo consecutivo.

O golo surgiu numa fase mais equilibrada do jogo, mas, talvez por isso, a reação avense não tardou, com Luquinhas, sempre em ‘excesso de velocidade’, a chamar a si a iniciativa.

Nove minutos depois, aos 33, o avançado avense correu pela esquerda, combinou com Derley e só foi travado na área do Sporting, numa falta do guarda-redes Salin para grande penalidade, que Falcão converteu, restabelecendo uma igualdade que seria novamente desfeita, perto do intervalo, na sequência de um livre de Bruno Fernandes.

O receio de um remate direto fez recuar Jorge Fellipe para perto da linha de baliza, colocando em jogo Coates, que recebeu a bola do capitão do Sporting e a trocou com Wendel, antes da emenda feliz de Mathieu.

Inácio mudou a estratégia para a segunda parte, trocando o central Ponck pelo extremo Varela, correndo mais riscos na tentativa de ser feliz. Registaram-se mais aproximações à área do Sporting, a equipa rematou mais, mas sem conseguir criar verdadeiro perigo para Salin.

Nesta altura, o Sporting preocupava-se mais em gerir a vantagem, mas sem nunca perder de vista as saídas rápidas e, não fosse, uma má definição de Raphinha, aos 58 minutos, num lance de superioridade numérica, teria mais cedo resolvido o jogo.

Beunardeau defendeu com dificuldade o remate do brasileiro, mas nada conseguiu fazer, aos 84 minutos, quando o inevitável Bruno Fernandes anotou o seu 16.º golo da temporada, de cabeça, para variar, após cruzamento de Mathieu.

O Aves introduziu a bola na baliza do Sporting, numa insistência de Derley, mas o golo foi anulado, por ação faltosa do brasileiro sobre Coates, no início do lance.

Programa da jornada:

Sexta-feira, 12 de Abril de 2019
Desp. Chaves - Belenenses SAD, 2 - 2

Sábado, 13 de Abril de 2019
Santa Clara - Moreirense, 1 - 1
Portimonense - FC Porto, 0 - 3
Desp. Aves - Sporting, 1 - 3

Domingo, 14 de Abril de 2019
Rio Ave - V. Guimarães, 2 - 1
Marítimo - Feirense, 2 - 0
Boavista - Nacional, 1 - 0
Sp. Braga - Tondela, 3 - 0
Benfica - V. Setúbal, 4 - 2

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Comentários

Na Primeira Página

Pode gostar de ler