loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Covid-19

Crónica: Rio Ave reativo mantêm rota europeia ao afastar Besiktas nos penáltis

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

É justa a medida do Governo em autorizar o regresso I Liga e impedir a II Liga?

O Rio Ave garantiu hoje o apuramento para o ‘play-off' de acesso à fase de grupos da Liga Europa de futebol, depois vencer os turcos do Besiktas no desempate por grandes penalidades (4-2), após o 1-1 no tempo regulamentar.
Crónica: Rio Ave reativo mantêm rota europeia ao afastar Besiktas nos penáltis

Numa partida com contornos emocionantes, o Besiktas até entrou melhor, colocando-se em vantagem, com um golo de Yalcin, logo aos 15 minutos, mas o conjunto vila-condense cresceu no segundo tempo, resgatando empate aos 85, por Bruno Moreira, empurrando o jogo para o prolongamento.

Nesse período extra, o empate prevaleceu, levando todas as decisões para as grandes penalidades, onde o Rio Ave foi 100 % eficaz nas quatro oportunidades que dispôs, enquanto os turcos do Besiktas claudicaram em duas ocasiões.

Com este triunfo, o Rio Ave já sabe que o derradeiro obstáculo para chegar à fase de grupos da competição, e juntar-se a Benfica e Sporting de Braga, será um jogo em casa com o AC Milan, que esta noite eliminou os noruegueses do Bodo/Glimt (3-2).

Além das aspirações próprias, o Rio Ave entrou neste jogo com a 'responsabilidade' de manter o registo imaculado de derrotas de equipas portuguesas no reduto do Besiktas, mas surgiu algo temerário na fase inicial do encontro.

Uma boa jogada de entendimento entre Carlos Mané e Francisco Geraldes, com este último a rematar ao lado, ainda conseguiu disfarçar algum nervosismo dos lusos, mas não evitou uma resposta pragmática do Besiktas, que, aproveitando uma desconcentração defensiva, inaugurou o marcador, à passagem do quarto de hora, na primeira oportunidade criada, com um cabeceamento de Yalcin.

Com a madrugadora vantagem, o Besiktas entregou a iniciativa ao Rio Ave, para depois poder explorar o contra-ataque e o erro contrário, algo que aconteceu aos 34 minutos, quando após uma perda de bola de Tarantini, Tokoz recuperou e rematou para defesa de Kieszek para o poste.

O Rio Ave sentia, então, dificuldades em fazer circular o seu jogo, e com uma toada previsível teve apenas tração ofensiva num par de remates fracos de Francisco Geraldes e Carlos Mané.

Já o adversário, mostrando maior qualidade na troca de bola, teve, ainda antes do intervalo, uma soberana oportunidade para chegar ao segundo golo, em mais um desvio de Yalcin, que mereceu grande defesa de Kieszek.

No segundo tempo, o Rio Ave surgiu bem mais desinibido, e aos 57 minutos esteve muito perto do embate, num contra-ataque desenhado por Carlos Mané, que cruzou para Bruno Moreira, com este a cabecear à barra da baliza turca.

Este primeiro aviso ajudou os vila-condenses a galvanizarem-se e empurrarem o Besiktas para o seu meio-campo, conquistando mais posse de bola e impondo maior pressão ao adversário.

Com a entrada de Diego Lopes para o lugar do apagado Lucas Piazón, para os últimos 20 minutos do desafio, a equipa portuguesa melhorou na circulação e, pouco depois, criou claras situações para chegar à igualdade num remate de Francisco Geraldes por cima e num cabeceamento de Carlos Mané aos ferros.

Os lances acabaram por ser o prenuncio do tento do empate, que, com justiça, chegou aos 85 minutos, num belo cabeceamento de Bruno Moreira, após cruzamento de Carlos Mané.

O Besiktas, que passou esta etapa complementar concentrado em defender a escassa vantagem, viu-se obrigado a reagir e, nos instantes finais, ainda ameaçou o resgatar da vantagem com um remate do ex-Vitória de Guimarães Bernard Mensah ao poste, mas o jogo acabou por ir para tempo extra.

Nessa fase, os vila-condense mantiveram sinal mais e na segunda metade do prolongamento, apesar da quebra física, até tiveram duas excelentes oportunidades para se colar na frente, em iniciativas de Gabrielzinho e Carlos Mané, mas com o empate a manter-se e adiar as decisões para as grandes penalidades.

Aí, o Rio Ave teve eficácia total nas quatro oportunidades que dispôs, por Bruno Moreira, Aderllan Santos, Jambor e Matheus Reis, perante um Besiktas que claudicou, com Welinton a rematar por cima e Larin a permitir a defesa de Kiesek, permitindo os festejos dos vila-condenses.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página