Boavista: Jesualdo Ferreira exige equipa a «jogar tudo» na receção ao Portimonense

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

O treinador Jesualdo Ferreira reforçou hoje a necessidade de os futebolistas do Boavista «jogarem tudo» na receção ao Portimonense, no sábado, da 33.ª e penúltima jornada da I Liga, visando maior conforto em busca da manutenção.

“Só podemos esperar uma coisa neste jogo: conquistar os pontos necessários para podermos enfrentar a última jornada com todas as condições de atingir os nossos objetivos. Não há outra posição. Os jogadores sabem disso e a equipa está preparada para isso”, garantiu o técnico, em declarações nas redes sociais dos ‘axadrezados’.

Inserido numa acesa luta pela permanência, o Boavista continua na 16.ª posição, de acesso ao ‘play-off’ com o terceiro classificado da II Liga, apenas dois pontos acima da zona de descida direta, quando restam seis em disputa e não vence há cinco rondas.

“Temos vindo a perder oportunidades de forma muito pouco feliz em relação àquilo que eram as nossas obrigações. Este é o jogo em que vamos jogar tudo. Se olharmos para a última partida em casa contra o Tondela [empate 1-1], tivemos todas as condições de chegar aos três pontos. Não conseguimos e neste temos de conseguir”, insistiu.

Jesualdo Ferreira quer ver “mais empenho e assertividade” face à derrota de terça-feira frente ao Sporting (1-0), que confirmou o 19.º título dos ‘leões’, admitindo que os “solavancos e avarias” vivenciados durante a época “só podem calejar os jogadores”.

“Não podemos sofrer golos como sofremos e temos de fazer os golos que têm ficado aquém. Apesar de tudo, o Boavista tem 36 golos. Isso reflete bem o espírito em relação à nossa ideia de jogo e à forma como abordamos os lances, mas há sempre um momento em que nos desequilibramos e colocamos em causa aquilo que construímos”, lamentou.

Considerando que “todos os jogadores já perceberam que não há depois de amanhã”, o experiente treinador descarta um Portimonense “intranquilo”, que tem o mesmo ciclo negativo de resultados das ‘panteras’, mas está apenas a um empate da permanência.

“Penso que está tranquilo. É uma equipa forte, fisicamente muito capaz, com intensidade de jogo bastante grande em alguns momentos e jogadores influentes. Vai ser uma batalha, mas temos de ganhar”, apelou Jesualdo Ferreira, que “gostava muito de ver os adeptos a vibrarem com o jogo e a ajudarem o Boavista a chegar onde pretende”.

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) anunciou na quarta-feira que os desafios da 34.ª e última jornada do campeonato, ainda sem horários definidos e a ser disputada em 18 e 19 de maio, vão poder contar com 10% da lotação dos estádios.

“Por razões que eu desconheço, mas estou mais ou menos a imaginar o que possa ser, como outros interesses, que não só os do futebol português, vai haver público. Tomaram uma medida que, para mim, é inaceitável e perfeitamente injusta e discriminatória. Nunca poderiam ser só algumas equipas a ter vantagem de jogar com o seu público”, observou.

O Boavista, 16.º e antepenúltimo colocado, com 30 pontos, recebe o Portimonense, 13.º, com 34, no sábado, às 15:30, no Estádio do Bessa, no Porto, em duelo da 33.ª jornada e penúltima jornada da I Liga, com arbitragem de Hugo Miguel, da associação de Lisboa.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página