loading

Crónica: B SAD resiste ao Boavista na estreia de Filipe Cândido

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Quem merece vencer a Bola de Ouro?

Boavista e Belenenses SAD empataram hoje 0-0, revestindo de monotonia o encontro de conclusão da nona jornada da I Liga de futebol, em que os ‘azuis’, na estreia do treinador Filipe Cândido, resistiram ao ímpeto dos portuenses.

Crónica: B SAD resiste ao Boavista na estreia de Filipe Cândido

Com o investidor Gérard López a assistir pela primeira vez a uma partida no Estádio do Bessa, os ‘axadrezados’ mantêm a invencibilidade a atuar em casa, mas somaram a terceira ronda consecutiva a empatar no campeonato e a sexta seguida sem vencer, intercaladas com a eliminação na Taça de Portugal frente ao Rio Ave, da II Liga (0-4).

O Boavista segue no oitavo lugar, com 11 pontos, enquanto o Belenenses SAD, que tinha superado o Berço, do Campeonato de Portugal (2-1, após prolongamento), ainda com Petit no comando técnico, é 18.º e último, com cinco, e o único sem triunfos na I Liga.

Condicionados pelas lesões de três defesas-centrais, além da suspensão do brasileiro Gustavo Sauer, melhor marcador dos ‘axadrezados’ em 2021/22, com cinco golos, os anfitriões demoraram a assimilar as sete alterações face à goleada em Vila do Conde.

O nervosismo em zonas de construção contagiou a manobra coletiva, resvalando a primeira parte para uma toada lenta, dividida e disputada longe das balizas, na qual os ‘azuis’ optaram por escudar-se na expectativa e apenas os nortenhos geraram perigo.

Se o Belenenses SAD até entrou afoito e viu Andrija Lukovic, uma das três novidades no ‘onze’, rematar às malhas laterais, aos quatro minutos, o Boavista despertou depois da meia hora, quando Gaius Makouta driblou Danny e descobriu à entrada da área Tiago Morais, que atirou rasteiro para uma intervenção apertada de Luiz Felipe junto à relva.

Os ‘axadrezados’ ainda traduziram esse ligeiro crescimento ofensivo aos 37 minutos, numa diagonal da esquerda para o meio de Kenji Gorré, travada com uma defesa a dois tempos do ‘guardião’ forasteiro, mas viram o ‘nulo’ arrastar-se a caminho do intervalo.

A equipa de João Pedro Sousa surgiu mais pressionante no reatamento e ameaçou em dose dupla por Petar Musa, que cabeceou perto do poste, aos 55 minutos, após canto na esquerda de Yanis Hamache, e falhou a emenda a um cruzamento de Makouta, aos 73.

Tentando sair com critério para o contra-ataque, os pupilos de Filipe Cândido jamais remataram à baliza de Alireza Beiranvand, ficando por um ‘disparo’ alto de Pedro Nuno, aos 86 minutos, numa fase em que os anfitriões refrescavam o ataque, sem daí extraírem efeitos, possibilitando a reedição do empate sem golos registado em 2020/21 no Bessa.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página