loading

"Se o FC Porto está com a pressão, faz algum sentido o Benfica tirar e colocá-la em si?"

O ambiente no Benfica continua tenso, com críticas ao emblema encarnado a surgirem de várias frentes. Diogo Luís, antigo defesa do clube da Luz, não poupou nas palavras ao abordar os recentes episódios que envolvem Roger Schmidt e a estrutura das águias.

"Se o FC Porto está com a pressão, faz algum sentido o Benfica tirar e colocá-la em si?"

Em declarações na CNN Portugal, reproduzidas pelo jornal 'Bancada.pt', o agora comentador desportivo expressou o seu desagrado quanto à justificação da falta de um tradutor para o técnico alemão na última conferência de imprensa dos encarnados e criticou a gestão amadora de alguns elementos que fazem parte da estrutura do atual campeão nacional.

"Uma indústria de milhões gerida por gente amadora muito bem paga no Benfica"

Segundo o antigo defesa dos encarnados, a ideia de que não havia um tradutor disponível não faz qualquer sentido num clube internacional como o Benfica.

"Estamos a falar de um clube internacional. Não acredito que nos quadros do Benfica não exista alguém com capacidade para fazer a tradução"

Diogo Luís questiona a coerência da exigência de que os jornalistas portugueses falem inglês sem haver alguém na estrutura capaz de traduzir as respostas de Roger Schmidt.

"Se querem que os jornalistas falem inglês, também tem que haver alguém na estrutura que tenha a capacidade para explicar o português, transformar o português em inglês para Roger Schmidt responder. É o básico", acrescentou Diogo Luís.

O antigo jogador também apontou críticas à gestão da equipa de futebol profissional do Benfica, caracterizando-a como amadora e reativa. Diogo Luís destacou a falta de planeamento nas decisões, referindo o exemplo da venda de Gonçalo Ramos e a subsequente contratação de Arthur Cabral, que não corresponde ao perfil desejado pelo treinador germânico.

"É uma indústria de milhões que é gerida por gente amadora, só que é gente amadora que é muito bem paga. A estrutura do Benfica está constantemente a reagir e não a agir"

"Veja-se o exemplo do Gonçalo Ramos. O Gonçalo Ramos é vendido e no próprio dia reagem com o Arthur Cabral que não tem nada que ver com o Gonçalo Ramos e com o perfil do que o treinador pretende", observou o ex-lateral.

Diogo Luís também criticou a recente contratação de Jurásek após a saída de Grimaldo, argumentando que o Benfica poderia ter realizado negócios mais vantajosos para esta temporada.

"O Grimaldo sai e o Benfica vai buscar à pressa um Jurásek quando ainda tinha tempo para fazer bons negócios, paga-lhe 14 milhões por um jogador que, internamente, é vetado pela sua estrutura de scouting. Este é um caso que era completamente desnecessário ", diz o agora comentador da CNN Portugal.

O ex-futebolista salientou que estas situações desnecessárias acabam por desgastar a imagem do clube perante os adeptos e sugeriu que o Benfica, ao criar casos mediáticos, está a retirar o foco da pressão que o FC Porto enfrenta.

"Se o FC Porto está com a pressão e o foco em si, faz algum sentido o Benfica tirar e colocá-la em si?", perguntou Diogo Luís.

"Todos nós sabemos quem um tradutor se arranja em 10 minutos ou em meia hora, dá para arranjar facilmente"

"E o reagir é colocar o Benfica na praça pública, é fazer com que as pessoas falem do Benfica, é fazer com que as pessoas falem do seu treinador, desgastar a imagem do treinador perante os adeptos", rematou o ex-jogador das águias.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Para si

Na Primeira Página

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Quem está mais perto de chegar aos quartos de final da Liga Europa?