loading

"O árbitro merece ser criticado, fez uma decisão muito má. Marcámos um golo limpo"

No calor dos momentos mais intensos do futebol português, onde a rivalidade entre os clubes se mistura com as emoções dos adeptos, surge uma polémica que tem dominado as conversas nas últimas semanas.

"O árbitro merece ser criticado, fez uma decisão muito má. Marcámos um golo limpo"
Lusa

"Ninguém me pode convencer que é fora de jogo", assume Schmidt.

Roger Schmidt, treinador do Benfica, protagonizou este sábado um debate ao expressar, uma vez mais, a sua insatisfação com as decisões arbitrais que moldaram o desfecho do jogo diante do Sporting.

No contexto da 24ª jornada da Primeira Liga, o Benfica prepara-se para um confronto decisivo contra o FC Porto. No entanto, o técnico alemão não perdeu a oportunidade de lançar duras críticas à arbitragem, mais especificamente no jogo da Taça de Portugal frente ao Sporting, onde o Benfica saiu derrotado por 2-1.

O momento que mais gerou controvérsia foi o golo anulado à equipa encarnada, por fora de jogo posicional de Tengstedt, decisão que, segundo Schmidt, teve um impacto substancial no rumo do jogo.

"O objetivo do futebol é marcar golos, e não encontrar razões para anular golos"

Roger Schmidt, no lançamento do Clássico diante dos dragões, agendado para este domingo, começou por abordar o golo anulado a Angel Di Maria, argumentando veementemente que se tratava de um lance legítimo.

"Acho que o árbitro merece ser criticado, fez uma decisão muito má. Marcámos um golo limpo, ninguém, ninguém me pode convencer que é fora de jogo. O objetivo do futebol é marcar golos, e não encontrar razões para anular golos", começou por dizer o técnico encarnado, citado pelo jornal 'A Bola'.

"Foi um momento importante no jogo, mudava o rumo, teria sido interessante se o golo tivesse sido validado, toda a gente sentiu que o jogo estava a mudar com aquele segundo golo", observou Schmidt.

A contestação do técnico germânico não se limitou apenas ao golo anulado. Schmidt também abordou a marcação de um penálti sobre Marcus Edwards, que, posteriormente, foi revertida pelo VAR.

"Toda a gente viu o que aconteceu com o penálti. O árbitro quis dar um penálti pelo que aconteceu com o Edwards… respeito, mas foi embaraçoso que o árbitro quisesse ter dado o penálti", defende o treinador das águias.

"Acho que a decisão da arbitragem nestes jogos grandes tem de ser diferente. Neste jogo não foi, e por isso consigo perceber a mensagem de Di María", rematou Roger Schmidt.

A reação do treinador surge em consonância com uma publicação nas redes sociais de Ángel Di María, jogador influente na equipa do Benfica.

"O que podemos dizer de ontem, ficou à vista de todos o que se passou. Continuaremos a trabalhar para atingir os objetivos, sozinhos contra todos", afirmou Di María na sua conta oficial do Instagram.

Estas palavras do jogador argentino contribuíram para acirrar os ânimos, alimentando ainda mais a controvérsia em torno das decisões arbitrais de Fábio Veríssimo, árbitro do encontro de Alvalade.

A polémica não se confinou apenas aos relvados e às redes sociais dos intervenientes diretos. A Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol pronunciou-se sobre as críticas de Schmidt e Di María.

Em comunicado, a associação defendeu a integridade dos seus associados e apelou ao respeito pelas decisões arbitrais, sublinhando a importância de se evitarem declarações públicas que possam prejudicar o bom nome dos árbitros.

Com o clássico à porta, a controvérsia em torno das decisões dos árbitros torna-se um elemento adicional de tensão e expectativa.

O confronto entre FC Porto e Benfica ganha assim novas camadas de significado, não apenas pela rivalidade natural entre os clubes, mas também pela sombra das recentes críticas à arbitragem.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Para si

Na Primeira Página

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Quem será o próximo presidente FC Porto?