loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Crónica: Boavista regressa aos triunfos perante Desportivo das Aves displicente

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Outras Notícias

Sondagem

Com a vitória do FC Porto frente ao Benfica o campeonato está relançado?

Um golo solitário de Cassiano permitiu hoje ao Boavista vencer na deslocação ao Desportivo das Aves, por 1-0, numa partida da 18.ª jornada da I Liga de futebol em que encontrou débil oposição do lanterna-vermelha.
Crónica: Boavista regressa aos triunfos perante Desportivo das Aves displicente

Na Vila das Aves, o avançado brasileiro marcou aos 12 minutos e quebrou um jejum de cinco rondas sem vitórias por parte dos ‘axadrezados', que somaram o terceiro triunfo na condição de visitante e subiram ao 10.º posto, com os mesmos 20 pontos do Gil Vicente.

O Desportivo das Aves voltou às derrotas e mantém-se afundado na 18.ª e última posição, com apenas nove pontos, a cinco do Portimonense, 17.º, e a sete do Paços de Ferreira, no primeiro lugar acima da zona de despromoção.

Numa etapa inaugural pouco vistosa, os ‘axadrezados' demonstraram a eficácia necessária aos 12 minutos, quando Cassiano antecipou-se ao primeiro poste para finalizar um canto cobrado por Carraça na esquerda, estreando-se a marcar no campeonato.

Com quatro novidades no ‘onze' e a tranquilidade concedida pela vantagem madrugadora, os portuenses recuaram linhas e acantonaram-se numa postura expectante, obrigando os anfitriões a repensarem a estratégia e a introduzirem maior rasgo ofensivo.

Só que os avenses desequilibraram com pouca frequência, tirando uma investida de Kevin Yamga a dois minutos do descanso, ao driblar dois adversários no flanco direito e aproveitar o desvio da bola em Neris para testar os reflexos de Helton Leite.

Os apuros do Desportivo das Aves prolongaram-se no reatamento, abrindo alas às saídas rápidas do Boavista, tendo Carraça, na execução de um pontapé livre aos 47, e Cassiano, quatro minutos depois, ameaçado através da meia distância.

Resignado com a falta de soluções atacantes, Nuno Manta Santos chamou Abdoulaye Dialló e o reforço Marius, em noite de estreia tal como o titular Oumar Diakhité, mas os pupilos do concelho de Santo Tirso continuaram atabalhoados em zonas de criação.

Mais esclarecidos na invasão à área contrária, os comandados de Daniel Ramos amealharam situações pelos pés de Yusupha (66 minutos), Gustavo Sauer (70) e Carraça (73), que até fez estremecer os ferros da baliza de Quentin Beunardeau.

Os anfitriões queimaram os últimos cartuchos ‘à boleia’ do jogo direto, mas nem sequer conseguiram beliscar a resistência dos boavisteiros, que triunfaram pela primeira vez na Vila das Aves desde 2001, ano em que conquistaram um inédito título nacional.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Na Primeira Página

Pode gostar de ler