Benfica-Sporting: Jardel espera novo campeão nacional relaxado na Luz

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

O campeão nacional Sporting abordará com serenidade o dérbi de sábado frente ao Benfica, da 33.ª e penúltima jornada da I Liga, projetou à agência Lusa o ex-futebolista brasileiro Mário Jardel, figura ‘leonina’ no título de 2001/02.
Benfica-Sporting: Jardel espera novo campeão nacional relaxado na Luz

“Podemos esperar um Benfica a querer estragar um pouco da festa do Sporting e um Sporting totalmente relaxado e a atuar de forma tranquila. Acho que jogará mais do que nos últimos jogos e tem boas chances de ganhar”, avaliou o ex-avançado, de 47 anos, principal figura do 18.º e penúltimo campeonato dos ‘leões’, com 42 golos em 30 jogos.

O Benfica, terceiro colocado, com 70 pontos, recebe o líder Sporting, com 82, no sábado, às 18:00, no Estádio da Luz, em Lisboa, com o clube de Alvalade em busca de ser o primeiro a acabar invicto uma edição da I Liga disputada em mais de 30 jornadas.

“Há esse fator de não perder para o Benfica e de não querer que o rival quebre essa invencibilidade. Os jogadores têm de pôr na cabeça que é como se o campeonato não estivesse acabado. Ainda mais por ser contra o Benfica, que quer estragar essa marca e não deixar que o Sporting seja campeão invicto. Tudo isso motiva”, admitiu Mário Jardel.

Os ‘leões’ têm 25 vitórias, sete empates e zero derrotas e haviam superado com o triunfo no estádio do Rio Ave (2-0), à 31.ª ronda, o então recorde de invencibilidade no mesmo campeonato detido por Benfica (1972/73 e 1977/78) e FC Porto (2010/11 e 2012/13).

“Teve um momento meio difícil, em que empatou três vezes, ganhou uma e foi a Braga. Aquele jogo era crucial emocionalmente e para o clube. Superaram-se. É a palavra certa. Mostraram que estavam ali para ganhar o campeonato. Sempre acreditei que, se o Sporting ganhasse em Braga, nunca mais perdia o título. Foi o que aconteceu”, vincou.

Líder isolado desde a sexta ronda, o Sporting sagrou-se na terça-feira campeão nacional pela 19.ª vez, 19 anos após o último título, em 2001/02, quando tem mais oito pontos do que o FC Porto, segundo colocado e anterior detentor do cetro, e restam disputar seis.

“Tiro o chapéu ao Rúben Amorim pelo trabalho que a equipa técnica fez. É importante para o treinador ter os jogadores na mão dentro do balneário, eles serem obedientes, não ter picuinhas nem brigas e apostar em jovens. Acredito que o Sporting tem camadas jovens muito boas, tanto é que já vendeu Figo, Cristiano Ronaldo, Nani e outros”, notou.

Mário Jardel distribui méritos pela estrutura do clube, da direção aos atletas, passando pelo diretor desportivo Hugo Viana, com quem festejou em 2001/02, numa temporada em que foi consagrado o melhor marcador da I Liga e também venceu a Taça de Portugal.

“A nossa equipa era muito mais madura, com jogadores experientes e rodados. É difícil comparar com uma equipa jovem, que tem jogadores da formação. São gerações diferentes, mas, não tirando mérito, com certeza a nossa equipa era muito melhor. Cada uma fica com o seu momento e só tenho de lhes dar os parabéns por esse título”, frisou.

Lembrando a “estrelinha de campeão” dos ‘leões’, o ex-dianteiro de Sporting, FC Porto e Beira-Mar destaca Pedro Gonçalves, no topo dos ‘artilheiros’, a par do benfiquista Seferovic, ambos com 18 golos, e os laterais Nuno Mendes e Pedro Porro.

“Há jogadores que fazem a diferença e ajudam mais do que outros, mas ninguém ganha nada sozinho. Eu não fui sozinho o melhor marcador do campeonato português cinco vezes, mesmo que em 2001/02 houvesse alguém que se destacava mais. Para minha felicidade, era eu. A bola chegava porque os outros trabalhavam para mim”, ressalvou.

A temporada do Sporting teve um calendário aliviado, expectativas diminutas e reforços cirúrgicos, entre os quais o avançado Paulinho, que teve dificuldade para se impor enquanto contratação mais cara da história do clube, ao somar três golos em 12 jogos.

“De certeza que o Rúben Amorim lhe deu o caminho das pedras. Chegou na altura certa, fez a diferença e ajudou imenso. Falo por mim: quando não marcava, nem dormia direito. O golo é o orgasmo do futebol. Às vezes, quando não estás a jogar nada, a bola batia na minha canela, entrava e eram três pontos. Isso faz uma diferença enorme”, enquadrou.

‘Super Mário’ espera que o autor do golo da vitória de terça-feira frente ao Boavista (1-0) ganhe confiança, confiando numa “grande Liga dos Campeões” dos ‘leões’ em 2021/22, desde que “continuem a dar mais chances aos jovens e mesclem alguma experiência”.

“Se ainda estivesse a jogar, era contratar o Mário Jardel de novo. Estou a brincar, mas é preciso manter o nível e fazer alguns ajustes e contratações para este título se repetir, pelos menos, de dois em dois anos. Há uma responsabilidade na ‘Champions’ e espero que entrem com tudo”, apontou o brasileiro, com 67 golos em 63 jogos pelo Sporting.

Mário Jardel despediu-se de Alvalade em 2002/03, época na qual os ‘verde e brancos’ estavam a arrancar para a maior ‘seca’ de campeonatos da sua história, fase em que “sucederam coisas que não deviam, investimentos errados e cada erro teve um preço”.

“É lógico que os adeptos não mereciam isso, mas este título veio na hora certa. Tanto é que nem era para inaugurar o meu canal no Youtube e abri-o no preciso dia em que o Sporting foi campeão. Dia 11 de maio. Espero que o Sporting não fique tanto tempo sem ganhar títulos e que possa estar aí no último jogo para dar um abraço a todos”, concluiu.

Programa da jornada:

Sexta-feira, 14 de Maio de 2021
Paços Ferreira - Gil Vicente, 0 - 2
Sp. Braga - Moreirense, 2 - 1

Sábado, 15 de Maio de 2021
Boavista - Portimonense, 1 - 0
Farense - Tondela, 1 - 0
Benfica - Sporting, 4 - 3
Rio Ave - FC Porto, 0 - 3

Domingo, 16 de Maio de 2021
Famalicão - Nacional, 3 - 0
B SAD - Santa Clara, 0 - 2
Marítimo - V. Guimarães, 0 - 0

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página