loading

Vizela: Álvaro Pacheco quer equipa «destemida», mas sem «euforia» no regresso a casa

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Quem merece vencer a Bola de Ouro?

O treinador do Vizela, Álvaro Pacheco, afirmou que os jogadores devem ser “destemidos”, mas sem “euforia”, para vencerem o Paços de Ferreira no primeiro jogo da I Liga em Vizela, referente à sexta jornada.
Vizela: Álvaro Pacheco quer equipa «destemida», mas sem «euforia» no regresso a casa

Depois de ter cumprido a época 1984/85, a primeira na elite do futebol luso, no Estádio Municipal de Guimarães, e os dois primeiros jogos do presente campeonato em Paços de Ferreira, na ‘casa’ do adversário de domingo, o clube vai pela primeira vez disputar um jogo do escalão principal na sua cidade, algo que o técnico considera “muito bom”, mesmo com os avisos para se evitar a “euforia”.

“É muito bom regressar a casa e estar novamente no nosso ‘habitat’. A nossa família vai estar cá toda reunida. É importante não entrar em euforia pelo regresso a casa. Temos de ser responsáveis, mas também destemidos para ganhar os três pontos. Temos de ser iguais a nós próprios. Só pelo facto de estarmos em casa, não nos podemos deixar distrair”, disse, na antevisão ao jogo marcado para as 15:30.

Na sequência das obras, o Estádio do Futebol Clube de Vizela já apresenta o relvado pronto e as bancadas integralmente revestidas de cadeiras, quase todas azuis, depois de ter recebido o último jogo oficial em 22 de maio, para a 34.ª e última ronda da II Liga de 2020/21, em que o clube minhoto goleou o Vilafranquense por 5-2, assegurando a subida à divisão principal.

Ciente de que o embate de domingo “vai ficar na história”, Álvaro Pacheco vincou que o Paços de Ferreira é um clube “muito amigo”, pelo qual os vizelenses nutrem “uma gratidão muito grande”, e que apresenta uma equipa “muito bem treinada” por Jorge Simão, capaz de “gerir muito bem a bola”.

“Sabemos que o adversário sabe gerir muito bem a bola. É uma equipa muito objetiva, pragmática e inteligente. Prevejo um jogo emotivo, entre duas equipas que vão querer conquistar três pontos”, projetou.

O ‘timoneiro’ vizelense disse mesmo que os espetadores presentes no ‘batismo’ do estádio na I Liga vão “ficar satisfeito com a exibição das duas equipas”.

Com o plantel já ambientado ao que classificou como o “melhor relvado do mundo”, Álvaro Pacheco pediu ainda à equipa que seja “séria”, “determinada”, “ambiciosa” e “corajosa”, à imagem do que tem procurado ser até agora, como aconteceu na ronda anterior, frente ao Gil Vicente, em que não desistiu de vencer, após sofrer o golo do 2-2 no tempo de compensação.

“Aos 90+2 minutos, a jogar fora de casa, muita gente pensava que o empate seria justo, mas pusemos os nossos centrais na área. Isto demonstra a ambição, o caráter e a vontade de ganhar que os meus jogadores têm vindo a demonstrar. Isso é positivo para o futebol português”, disse.

Ainda a propósito desse desafio, Álvaro Pacheco disse que o golo invalidado a Kévin Zohi, que daria o 3-1, por um fora de jogo de um centímetro descortinado pelo videoárbitro, é um exemplo do que está a “estragar o futebol”, mas assinalou que o facto de o Vizela ser a equipa com mais golos anulados, quatro, prova a apetência ofensiva da equipa.

O Vizela, 12.º classificado da I Liga portuguesa, com cinco pontos, recebe o Paços de Ferreira, nono, com sete, em jogo agendado para as 15:30 de domingo, no Estádio do Futebol Clube de Vizela, com arbitragem de Cláudio Pereira, da Associação de Futebol do Porto.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página