loading

"O Tengstedt não interfere minimamente. Mais um assalto ao Benfica"

O tão aguardado embate entre Sporting e Benfica, referente às meias-finais da Taça de Portugal, não só correspondeu às expetativas como também deixou os adeptos a discutir momentos controversos e decisões polémicas da equipa de arbitragem e do VAR.

"O Tengstedt não interfere minimamente. Mais um assalto ao Benfica"
Benfica

"Quando soube que o árbitro do dérbi era o Verdíssimo fiquei obviamente preocupado", observa ex-dirigente do Benfica.

Num jogo repleto de emoções, os leões emergiram vitoriosos com uma vitória por 2-1, construindo uma vantagem preciosa para o segundo encontro no Estádio da Luz.

O palco estava montado em Alvalade, e desde cedo o Sporting mostrou uma intensidade dominante, levando os adeptos ao rubro. Pedro Gonçalves, com um golo, inaugurou o marcador, desencadeando uma celebração efusiva nas bancadas.

A equipa de Rúben Amorim continuou a exercer pressão, enquanto o Benfica, apesar da sua qualidade, demorou a encontrar o seu ritmo, tendo feito o primeiro remate à baliza de Franco Israel à passagem do minuto 58, algo que reflete as dificuldades dos pupilos de Roger Schmidt na primeira hora do encontro.

A emoção leonina atingiu o auge quando, numa fase em que o resultado era de 2-0 a favor do Sporting, os adeptos sportinguistas entoaram olés, sublinhando o domínio da sua equipa sobre o rival da Luz.

Contudo, o Benfica reagiu e conseguiu reduzir a desvantagem através de Fredrik Aursnes, num momento que ameaçava mudar o rumo do jogo.

"Um golo escandalosamente escamoteado ao Benfica"

No entanto, a controvérsia instalou-se quando Ángel Di María marcou um golo que seria o empate para a turma da Luz, mas o VAR anulou o lance devido à posição irregular de Casper Tengstedt.

Esta decisão gerou indignação entre os adeptos benfiquistas, incluindo figuras proeminentes como José Manuel Antunes, antigo vice-presidente do clube.

José Manuel Antunes expressou a sua preocupação antes do jogo devido à escolha da equipa de arbitragem, e após o encontro, classificou a anulação do golo do extremo argentino como um "escândalo".

"Quando soube que o árbitro do dérbi era o Verdíssimo e o VAR o Super Dragão Fábio, fiquei obviamente preocupado", começou por lembrar o sócio das águias.

"O escândalo desta decisão é a prova de que a minha apreensão tinha toda a razão de existir", observou logo de seguida Antunes, numa mensagem publicada nas suas redes sociais, reproduzidas pelo jornal 'Bancada.pt'.

O antigo dirigente encarnado considerou que se tratou de "mais um assalto ao Benfica", questionando a postura da Direção do clube perante estas situações.

"Como fica claro, o Tengstedt não interfere minimamente, nem na jogada, nem no campo de visão do Israel. Mais um assalto ao Benfica", destacou o antigo dirigente.

"Um golo escandalosamente escamoteado ao Benfica. Até quando ficamos de braços cruzados?", rematou José Manuel Antunes.

Rui Costa, presidente do Benfica, também manifestou o seu desagrado com a decisão, questionando os jornalistas sobre a validade do golo: "Digam vocês. Não era golo?", questionou o líder máximo dos encarnados.

Para Roger Schmidt, treinador do Benfica, o golo era "limpo" e não via motivos para a anulação. Schmidt destacou que o guarda-redes do Sporting tinha uma visão clara da jogada e que, na sua opinião, foi um "golo normal e bonito".

Confira aqui tudo sobre a competição.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Para si

Na Primeira Página

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Quem será o próximo presidente FC Porto?