loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Crónica: Félix teve noite ‘diabólica’, mas Paciência deu ‘vida’ ao Eintracht

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Facebook

Outras Notícias

Sondagem

Quem tem o calendário mais difícil até final da temporada?

João Félix teve hoje uma exibição de ‘gala’, com três golos e uma assistência na vitória do Benfica sobre o Eintracht Frankfurt, mas Gonçalo Paciência relançou o duelo dos quartos de final da Liga Europa de futebol (4-2).
Crónica: Félix teve noite ‘diabólica’, mas Paciência deu ‘vida’ ao Eintracht

O jovem avançado benfiquista construiu o ‘hat-trick’ aos 21 (de grande penalidade), 43 e 54 minutos, sendo que, pelo meio, ainda teve participação no golo de Rúben Dias, aos 50. Além disso, Félix tornou-se no jogador português mais jovem a marcar três golos num jogo das competições europeias, superando Eusébio.

O Eintracht - que teve de atuar com 10 jogadores desde os 20 minutos, por expulsão de N’Dicka, autor do penálti convertido por Félix – tinha conseguido empatar por Luka Jovic, aos 40, mas foi o tento de Gonçalo Paciência, aos 72, que permitiu aos alemães manterem vivas as esperanças – reais – de se qualificarem para as ‘meias’.

Tal como vem sucedendo nas partidas europeias, a escolha do ‘onze’ benfiquista provou, mais uma vez, que a prioridade dos ‘encarnados’ está apontada ao campeonato nacional. Elementos como André Almeida, Ferro, Pizzi ou Seferovic foram poupados por Bruno Lage, que, desta feita, organizou a equipa num 4x3x3, com João Félix a atuar solto na frente de ataque.

No Eintracht Frankfurt, o português Gonçalo Paciência iniciou o encontro no banco de suplentes, ao contrário do sérvio Luka Jovic, avançado cedido pelo Benfica aos germânicos e que voltou a ser aposta inicial de Adi Hutter.

O jovem internacional sérvio teve mesmo uma entrada de ‘rompante’ no jogo, primeiro vendo um cartão amarelo, nem cinco minutos estavam decorridos, e pouco depois deixando-se antecipar por Grimaldo, quando estava em situação favorável para criar perigo.

Por um lado, o Benfica dominava, mas, por outro, o conjunto de Frankfurt revelava-se ‘venenoso’ nas transições ofensivas, até que, à passagem dos 20 minutos, os ‘encarnados’ ganharam vantagem numérica e no marcador, com João Félix a converter uma grande penalidade.

Se Félix foi sublime a criar o lance, que levou N’Dicka a derrubar Gedson dentro da área e a ser expulso, há que louvar igualmente a forma como Samaris e Fejsa conseguiram ‘desmontar’ a ‘teia’ do Eintracht, chamando a si a pressão de vários adversários e abrindo espaço na zona central germânica.

Não fossem algumas decisões erradas no último passe, particularmente de Gedson e Rafa, e o Benfica poderia ter criado maiores embaraços aos visitantes, que, depois de ameaçarem, conseguiram a igualdade: Fejsa perdeu a bola onde não devia, Rebic ‘galgou’ terreno e assistiu Jovic para o empate.

Contudo, João Félix queria chamar a si as atenções e, três minutos após o empate, 'bisou' e devolveu a vantagem às ‘águias’, de nada valendo a estirada de Trapp perante o pontapé ‘fulminante’ do jovem criativo luso.

O guarda-redes alemão seria crucial em cima do intervalo, parando o remate de Cervi, mas, após o reatamento, foi absolutamente impotente para travar o avolumar o marcador. Primeiro foi Rúben Dias a finalizar um canto de ‘laboratório’, após desvio de Félix, antes de Cervi e Grimaldo criarem o lance que culminou no ‘hat-trick’ do internacional sub-21.

A eliminatória começava a pender claramente para os lados da Luz e só não ficou praticamente sentenciada porque o recém-entrado Seferovic falhou o que parecia certo, numa altura em que Pizzi também já tinha sido lançado por Bruno Lage, para o lugar do lesionado Corchia.

Contudo, a entrada destes dois jogadores coincidiu com a maior quebra do Benfica, que perdeu capacidade de reação nos duelos e tornou-se muito passivo, não espantando que a formação de Frankfurt tenha chegado ao golo, através do português Gonçalo Paciência, quatro minutos após entrar em campo.

Com o passar do tempo pairou a ideia de que, mesmo com 10 elementos, o Eintracht estava mais perto do terceiro do que o Benfica do quinto, o que ‘alimentou’ a impaciência de alguns dos mais de 54.000 adeptos presentes na Luz. Ainda assim, a vantagem de dois golos não fugiu aos ‘encarnados’, que não vão ter tarefa fácil na próxima semana, na Alemanha.

Programa da jornada:

Quinta-feira, 11 de Abril de 2019
Slavia - Chelsea, 0 - 1
Benfica - Frankfurt, 4 - 2
Arsenal - Napoli, 2 - 0
Villarreal - Valência, 1 - 3

Quinta-feira, 18 de Abril de 2019
Frankfurt - Benfica, 2 - 0
Napoli - Arsenal, 0 - 1
Chelsea - Slavia, 4 - 3
Valência - Villarreal, 2 - 0

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Comentários

Na Primeira Página

Pode gostar de ler